Atendo como Coach uma imensa gama de questionamentos, de conflitos e, logicamente, vou conquistando cada vez mais um alto grau de flexibilidade. Não fugindo de meus valores, mas revendo minhas crenças, conseguindo através de um exercício constante de pensar, repensar e reorganizar-me.
Tomando consciência do processo evolutivo individual como um todo, uma grande rede de influências onde, em um post anterior  já abordamos esse tema.

O que me intriga e, consequentemente, me motiva ainda é uma variante do tema verdade. Talvez seja uma conquista minha a ser partilhada, ou um valor meu a ser burilado, mas essa tal verdade tem sido um desafio constante no exercício da minha função de Coach.

Deve ser uma”conspiração do Universo” essa necessidade de questionar de como lidar, sentir e agir com verdade, digo isso considerando o momento político e econômico, considerando ainda o realinhamento das relações humanas e finalmente, considerando o que ouço, percebo e sinto exercendo o meu papel de Coach.

Só pode ser “conspiração do Universo!!!!

Oh! My God!!!!! Como diz minha querida amiga Miriam Correa.
Resultado de imagem para oh my god gif

Compreendo que cada um tenha a sua verdade, que ela seja circunstancial e variável (acredito piamente nisso), mas a partir daí criar uma “verdade” que não tenha fundamento dentro do próprio conceito do criador é demais para a minha compreensão.

Com tantas conquistas no campo do conhecimento custo a crer que pessoas com razoável grau de entendimento e cultura ainda insistam em contar “mentirinhas cotidianas” como ferramenta de manipulação do outro, e pior que isso: pessoas que dizem buscar qualidade de vida, que dizem querer entender melhor os processos de interação entre os indivíduos e os grupos!

Oh! My God!!!! Oh! My God!!!!! Oh! My God!!!

O meu trabalho, de maneira simplista e resumida, consiste em olhar firmemente para os olhos do meu cliente e questioná-lo sobre a sua própria verdade. Aquela verdade que fica sob os escombros de valores e crenças impostos por processos educacionais viciosos e/ou por processos dolorosos, tão dolorosos que provocam a fuga da realidade em alguns momentos, quando não provocam a agressão sem aparente nexo.

Alguém se lembra do Tao?

Tao-Garden
Não defendo a verdade a qualquer preço, aquela “verdade” que faz do indivíduo um insano grosseiro, mas a verdade possível e saudável que sabe dizer: Agora não vou falar sobre isso por essa ou aquela razão. A minha opinião é que isso ou aquilo não é bom por hoje e para mim (por hoje porque amanhã tudo pode mudar e para mim porque cada um é um).

Gosto da verdade amorosa que respeita os envolvidos nos fatos, que respeita a opinião do outro que não se mascara pelo jogo do poder ou da posse.

Qualquer um gosta, você deve estar concluindo, não é? A questão é: Qualquer um pratica?

Cada um tem o livre-arbítrio para fazer o que quiser, até manipular verdades, desde que não interfira no bem-estar do próximo, não é assim? Cuidado ao usar o seu livre-arbítrio ao mascarar ou faltar com a verdade, conheço pessoas que criam com tal vontade as “verdades” que contam que passam a acreditar nelas! Acreditar em suas fantasias pode ter o lado negativo que é o de não se esforçar para alcançar uma determinada condição, já que  ilusoriamente elas se encontram nessa condição.

Você já pensou sobre isso?

Sabe aquele cara que se acha a “última bolachinha do pacote”? Pois é, ele um dia criou a fantasia que era super, hiper, mega sedutor… Ele acreditou.  E até hoje vive se escondendo da realidade. Até quando isso vai durar? Até ele se ferir profundamente e sentir a necessidade de fazer o caminho inverso.

Sabe aquela pessoa que vive se fazendo de vítima para ver se consegue um “lucrinho” a mais? Pois é, ela também acreditou! Mergulhou em profunda autocomiseração e acredita piamente que é uma pobre vítima desse mundo cruel.  Vai caminhar assim até ter a necessidade de sair de um processo depressivo.

Mascarar a verdade para, repito ter posse ou poder de algo ou de alguém, pode se tornar um vício e como qualquer outro vício trazer consigo outros transtornos emocionais.

Resumo da ópera: Vamos exercitar o bom uso da verdade?

Como emitir opinião sobre escândalos que estão na mídia tão intensamente nos dias de hoje se não estivermos alinhados com a nossa verdade? Será que já nos demos conta que escândalos são verdades que saíram das cavernas da ignomínia?n

Oh! My God! Exercitando em …3…. 2… 1.

Author

"Tratando as pessoas como elas são, tornamo-las piores; tratando-as como devem ser, ajudamo-las a se tornarem o que elas são capazes de ser." | Goethe

Write A Comment